9th of June

Adauto Lourenço mentindo pelo criacionismo


Já falei sobre esta nobre criatura (?) antes no fomigerado* prêmio TOP FIVE de desonestidade intelectual de criacionistas brasileiros.

* FOMIGERADO = neologismo semelhante a famigerado, mas que deriva de FOME em vez de fama, dadas as circunstâncias de falta de nutrição intelectual do indivíduos considerados.

A seguir, a nova estrepolia do sr. ‘mestre’ Adauto Lourenço. Mas antes, vamos ver de onde ele tirou a informação para distorcer. Ano passado, em comemoração aos 200 anos de nascimento de Charles Darwin e 150 anos de seu magnum opus, a revista científica Nature lançou vários materiais de DIVULGAÇÃO (ou seja, materiais que podem ser entendidos por leigos em biologia [como o Adauto], por terem menos jargão técnico) da evolução biológica, um dos quais, uma compilação de várias pesquisas em biologia evolutiva, eu traduzi e publiquei no Evolucionismo.org com o nome 15 joias da evolução. Nenhum criacionista apresentou qualquer refutação relevante a esta obra de divulgação da revista científica que tem um dos maiores impactos do mundo (existe um número proposto por organizações privadas para avaliar a relevância de publicações científicas, chamado “fator de impacto”, e a Nature é um dos periódicos com o maior fator de impacto). Agora em 2010 a última edição da revista científica Nature veio, como de praxe, lotada de artigos que assumem que a evolução biológica é um fato. Mas o sr. Adauto Lourenço, físico, leigo em biologia, acha que um desses artigos faz o exato oposto de corroborar a evolução: adauto_lourenço_mentira O artigo ao qual o nobre hominídeo se refere tem este título e estes autores:

Experimentally assessing the relative importance of predation and competition as agents of selection
[Tradução livre: Avaliando experimentalmente a importância relativa da predação e da competição como agentes da seleção]

Ryan Calsbeek & Robert M. Cox
(Department of Biological Sciences, Dartmouth College, Hanover, New Hampshire 03755, USA) Eu poderia rebater a coprolalia do sr. Adauto Lourenço com o título do artigo. Mas vou fazer melhor. Traduzo o resumo do artigo que consta na Nature. O resumo já cita vários outros artigos científicos, mas vou omitir os números das citações por estética. Aí vai:

Experimentos de campo que medem a seleção natural em resposta a manipulações do regime seletivo são extremamente raros, mesmo em sistemas onde a base ecológica da adaptação foi estudada extensivamente. A radiação adaptativa [ou seja, o conjunto de sucessivas especiações, sucessivas origens de novas espécies] dos lagartos caribenhos do gênero Anolis tem sido estudada por décadas, levando a previsões precisas sobre a influência de agentes alterativos de seleção natural em campo. Aqui nós apresentamos evidências experimentais para a importância relativa de dois agentes putativos de seleção na formação da paisagem adaptativa em uma radiação insular clássica [desde Darwin sabe-se que ilhas promovem a origem de novas espécies, como no caso dos tentilhões das Galápagos, e neste caso lagartos caribenhos]. Nós manipulamos populações do lagarto marrom Anolis sagrei** em ilhas inteiras, para medir a importância relativa da predação versus competição como agentes da seleção natural. Excluímos ou incluímos aves e cobras predadoras em seis ilhas que variavam de baixa a alta densidade populacional de lagartos, e então medimos as diferenças subsequentes no comportamento e a seleção natural em cada população. Os predadores alteraram o comportamento de empoleirar-se dos lagartos e aumentaram sua mortalidade, mas os tratamentos de predação não alteraram a seleção em características fenotípicas. Alternativamente, aumentar experimentalmente a densidade da população fez crescer dramaticamente a força da seleção de viabilidade favorecendo maior tamanho corporal, maior comprimento de membros e maiores níveis de estâmina. Nossos resultados para A. sagrei são consistentes com a hipótese de que a competição intraespecífica é mais importante que a predação na formação da paisagem adaptativa para características cruciais para a radiação adaptativa dos ecomorfos de Anolis.

** O simpático lagartinho Anolis sagrei, inclusive, consta na sétima das 15 joias da evolução, divulgadas, como disseram os editores da Nature em janeiro de 2009, para mostrar “que a seleção natural é um fato, da mesma forma que é um fato que a Terra orbita o Sol”. Concluo com um recadinho para o nobre euteleostômio Adauto Lourenço: O senhor MENTE. Pior: o senhor MENTE para ganhar dinheiro. Pior: o senhor MENTE para esconder a verdade. Como consegue deitar vossa vazia cabecinha em vosso pobre travesseiro todos os dias à noite e dormir sabendo do fato de que é um MENTIROSO da pior ESPÉCIE? (E aqui, não me refiro à espécie Homo sapiens, cuja maioria de seus constituintes costuma ser mais nobre que o senhor.) Como todos os outros criacionistas que citei no TOP FIVE, o Adauto é um PARASITA da literatura científica. Em vez de produzir por contra própria algum estudo mostrando evidências de que a vida foi criada ou projetada, estes criacionistas distorcem publicações científicas de revistas como a Nature. A verdade precisa da mentira para ser defendida? Se não, quem está com a verdade, os criacionistas ou aqueles que aceitam o fato de que os seres vivos mudam?

Categories:  Blog
Tags: 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *