31st of January

Padrão de beleza não é (só) “construção social”


Decepcionando quem ignora ciência por boas intenções: genética do que é sexualmente atraente:

“A preferência pela atratividade facial é parte da herança biológica, em vez da herança cultural; essa hipótese é amparada por estudos mostrando ao menos concordância parcial entre diferentes culturas sobre o que é atraente numa face [1,2], e por estudos mostrando que a tendência de preferir faces atraentes emerge cedo no desenvolvimento [3]. Homens com um padrão genético XY, independente da orientação ser hetero ou homossexual, preferem rostos (femininos ou masculinos, respectivamente) com dimorfismo acentuado [4]. Essa evidência foi demonstrada num ambiente experimental de transformações [5], onde homens heterossexuais e homossexuais escolheram imagens de rostos femininos ou masculinos com características mais feminilizadas ou masculinizadas.”

Traduzido de:
Jannini, E. A., Burri, A., Jern, P., & Novelli, G. (2015). Genetics of Human Sexual Behavior: Where We Are, Where We Are Going. Sexual Medicine Reviews, 3(2), 65–77. http://doi.org/10.1002/smrj.46

Referências citadas no trecho:
1 – Langlois JH, Kalakanis L, Rubenstein AJ, Larson A, Hallam
M, Smoot M. Maxims or myths of beauty? A meta-analytic
and theoretical review. Psychol Bull 2000;126:390–423.
2 – Perrett DI, May KA, Yoshikawa S. Facial shape and judgements
of female attractiveness. Nature 1994;368:239–42.
3 – Rubenstein AJ, Kalakanis L, Langlois JH. Infant preferences
for attractive faces: A cognitive explanation. Dev Psychol
1999;35:848–55.
4 – Ciocca G, Limoncin E, Cellerino A, Fisher AD, Gravina GL,
Carosa E, Mollaioli D, Valenzano DR, Mennucci A, Bandini
E, Di Stasi SM, Maggi M, Lenzi A, Jannini EA. Gender
identity rather than sexual orientation impacts on facial preferences.
J Sex Med 2014;11:2500–7.
5 – Perrett DI, Lee KJ, Penton-Voak I, Rowland D, Yoshikawa S,
Burt DM, Henzi SP, Castles DL, Akamatsu S. Effects of
sexual dimorphism on facial attractiveness. Nature
1998;394:884–7.

  • Damnes Aspare

    No livro de Daniel Hamermesh : “O Valor da Beleza – Por Que As Pessoas Atraentes Têm Mais Sucesso”, ele demonstra através de dados e estatísticas que pessoas mais atraentes pode ter vantagens em sua vida social e privada devido ao poder que encanto da beleza tem sobre as pessoas. Muitas pessoas relatam que sua falta de dons atrativos foi nocivo para seu desenvolvimento psicológico. Se a beleza é genética isso significa que muitas pessoas ja nascem em desvantagem em relação outras mais atraentes ? Quais são implicações sociais disso ?

    • Se isso for verdade (eu não acho que genética é tudo o que existe para a beleza), então a resposta é levar isso em conta e agir de acordo com as desvantagens para equalizar para as pessoas feias o que as bonitas já têm. Claro, somente onde é moralmente e socialmente relevante, não estou falando de forçar ninguém a se atrair por alguém que não acha atraente.

      • Dura_Realidade

        Bom, já dizia o coxinha parceiro de Chico Buarque, “Que me desculpem as feias, mas beleza é fundamental”…
        Aaahhh o poeta Vinícius de Morais deveria queimar por isso! 😉
        Explicar o óbvio. Quantos não acham que a “mulher linda” que o amigo tem é feia? E vice-versa!
        Isso é “gosto pessoal”
        Algo que o fascismo não controla…
        Biologia básica… =D