15th of December

“Eu sou humanista.” Será mesmo?


Permita-me respeitosamente discordar de sua autoidentificação, pois não parece ser este o caso se: – Você é contra a criminalização da homofobia, e igualmente contra a descriminalização do racismo. Pode-se aceitar que você acredite ter bons argumentos pelo excesso de liberdade de expressão permitindo inclusive o discurso de ódio, mas não é possível coerência se você sai fazendo campanha contra o PLC122 mas prefere nada comentar sobre a lei que este projeto visa a editar, a lei anti-racismo. No mínimo você deveria chamar pela impugnação da lei anti-racismo. Ser incoerente no tratamento de diferentes preconceitos pode indicar que você esposa algum deles. – Você é contra o direito de uma mulher de decidir se quer levar adiante ou não uma gestação até certo limite de desenvolvimento do feto. Especialmente se você se recusa a explicitar quais são as condições necessárias e suficientes para que um ser vivo seja considerado um cidadão digno de direitos. Não, este debate não é sobre "a vida" – vida é um conceito tratado por biólogos e filósofos da biologia. Este debate é sobre quando, no espectro do desenvolvimento de um embrião humano, ele deixa de ser uma coisa mais parecida com as células vivas que expelimos e matamos todos os dias (inclusive as da sua salada) e passa a ser uma criança de fato, com todos os direitos que as crianças justamente têm. Definir "criança" de forma esdrúxula, igualando-a a um zigoto ou a um conjunto amorfo de células totipotentes, é uma posição que leva a problemas éticos insuperáveis, inclusive o problema ético de atentar contra a autonomia das mulheres.

– Você reclama dos movimentos sociais o tempo todo e gostaria que eles se extinguissem, quando é objetivamente demonstrável que várias de suas reivindicações fazem sentido e que os grupos que eles representam realmente têm seus interesses desfavorecidos injustamente na sua sociedade.

– Você acha que certos grupos de crença ou de posição política são blocos monolíticos contendo apenas cópias de um estereótipo desumanizado.

– Você pensa que absolutamente toda ética é relativa e que portanto ninguém pode acusar culturas que mutilam genitalmente mulheres e cometem infanticídio de estarem cometendo atos imorais.

Se alguma dessas carapuças serviu, infelizmente terei que veicular a má notícia de que você não é, de fato, um humanista. Não de acordo com boas fontes políticas (http://lihs.org.br/humanismo ) e filosóficas (http://lihs.org.br/etica ).

***
Publicado originalmente na página da LiHS no Facebook.