5th of October

Carta aberta ao prefeito de Porto Alegre, @JoseFortunati


O jornal Sul 21 noticiou que o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, no último sábado (01/10) na Marcha para Jesus, fez a seguinte declaração:

Tenho consciência de que se Deus me colocou neste posto, neste momento, não basta apenas pensar na materialidade do nosso povo. Isto é importante (…), mas é importante também que a cada momento possamos resgatar a estabelecer com nosso povo uma relação direta com a palavra de Deus. Temos que rezar e orar para que a espiritualidade cresça na capital de todos os gaúchos. E para que esta cidade represente tudo o que queremos. Uma cidade que dê abrigo a todos, mas que, acima de tudo, tenha ao Senhor, nosso Deus.

A declaração é de um desrespeito acachapante para com todos os cidadãos de Porto Alegre que não compartilham da fé cristã. Porto Alegre tem uma comunidade expressiva de praticantes de religiões afrobrasileiras, além de uma respeitável comunidade judaica e também uma parcela considerável de cidadãos sem religião e ateus.Na Liga Humanista Secular do Brasil, associação de ateus humanistas que presido, há mais de 50 cidadãos de Porto Alegre. Então, senhor Fortunati: não, sob pena de excluir cidadãos desta leal e valerosa cidade, o Senhor seu deus não está acima de tudo em hipótese alguma.Acima de tudo está a Constituição desta República, e esta República é laica e não endossa sua religião particular. Ao menos que o senhor tenha o título de eleitor de Deus e possa provar que ele votou no senhor, quem te botou neste posto foram os cidadãos com seus votos, e não Ele. Portanto, tenha o mínimo respeito pelos votos que te elegeram.Quais são os planos do prefeito para fazer a “espiritualidade” crescer em Porto Alegre? Vai usar o poder público para forçar ateus como eu a acreditar em seu deus, para forçar os umbandistas a aceitar o carpinteiro nazareno como seu “salvador”?Salvar de quê, afinal de contas? Não me sinto em perigo, e, imagino, nem os adeptos da quimbanda ou do judaísmo. Minto: o único perigo que estou sentindo no momento, e preciso imediatamente ser salvo deste, é o perigo de viver num país teocrático, em que o cristianismo se intromete na minha vida contra a minha vontade, por exemplo quando o governo do estado em que resido usa meus impostos para distribuir Bíblias às unidades prisionais, e quando o prefeito da cidade em que escolhi viver insinua que sou um cidadão de segunda classe por não ter ‘espiritualidade’ nenhuma.Então, senhor prefeito José Fortunati, salve-me disso! Salve-me de ti! E comece a colocar a ‘materialidade’ da saúde, segurança e educação ‘acima de tudo’ nas suas prioridades imediatamente, em nome do nosso texto sagrado, a Constituição.

  • Calma cara, muito drama. Ele é um politico, vai sempre com a maioria. Se fosse marcha para Satã ele diria as mesmas coisas. Infelizmente somos minoria e deus dá muitos votos para esses caras.

  • Parabens pelo texto Eli, conte com o apoio dos não-cristãos paulistas. =D

    Abraços.

  • Não esquecendo que também existe uma comunidade judaica expressiva em Porto Alegre.

  • Por mais que o prefeito tenha feito essa declaração em busca de votos da maioria cristã não acho que devemos fazer pouco caso não. Essa moda dos políticos de conquistar votos pela religião está acabando com a já fraca laicidade do nosso estado. Temos que nos fazer lembrar e nos fazer ouvir sim, parabéns pela iniciativa Eli!

  • Henrique,
    não, eu não fico com calma quando a Constituição é desrespeitada neste país. Jamais.

  • Apoio de outro não-cristão, só que baiano 🙂

    P.S: Por aqui,é o perfil da prefeitura que posta mensagens cheias de mimimi cristão no Facebook todos os dias!!
    😛

  • a maior parte das pessoas pode achar que a carta em si não desrespeita diretamente a constituição.

    mas nota-se que é perigosa quando pensamos nas implicações que ela pode ter.

    sem contar o tom cruzadistico e proselitista, o q exatamente o prefeito quer dizer com 'palavra de deus'? se fosse apenas a parte de 'amai-vos uns aos outros' eu até acharia muito.

    mas a frente parlamentar evangelica taí pra provar que o mais provavelmente é q não, né?

  • Somos a minoria? E dai? Seremos a minoria silenciosa? Até quando?
    Parabéns Eli!!!
    Endosso.

  • Parabéns Eli! A laicidade está se acabando nesse país.

    HENRIQUE CONTI: Está se tornando moda esses caras esconderem a incompetência e a desonestidade deles por trás desse tipo de demagogia barata. Se não houver uma reação pela laicidade as próximas campanhas eleitorais virarão enormes procissões cristãs ou marchas para cristo. E as propostas? e as políticas públicas? e a discussão pela solução dos problemas ficam aonde? Você já esqueceu a recente campanha do Serra onde ele ao invés de discutir um programa de governo, tentou foi passar ao eleitor que a Dilma era atéia e ele cristão?

  • Apoiadíssimo!
    O Estado deixou o estelionato das "igrejas" chegar onde chegou e tomar dimensões gigantescas. Agora esta onda de invasão religiosa está crescendo e não podemos permitir. Isto é MUITO perigoso, pois privilegia a maioria cristã, mas maioria não é 100%, e isto é desrespeito para com a população e a constituição. A consequência disto é a alimentação do ódio, preconceito e violência, como já temos visto.
    Arthur, Curitiba-PR

  • Olá, ELi.
    Cheguei ao seu blog por acaso. Gosto muito de ler diversas opiniões sobre o mesmo tema, para que possa formar a minha.
    Você escreve muito bem e com muitos argumentos, sem agredir pessoalmente o Prefeito isso é interessante.
    Mas é preciso analisar o contexto. Em um evento evangélico queria que ele fosse defender os ateus? E não acredito que ele rebeixou ateus por fazer referência a sua crença. Isso é um pouco mania de perseguição.
    Não conheço o Prefeito de POA, moro bem longe de lá e nunca o vi. Mas acredito que ele respeite as demais opiniões e crenças, ou falta delas.
    Vale lembrar que o Fortunati não foi eleito diretamente, também. Era vice, hoje é Prefeito porque outro renunciou dando um passo maior que a perna. Nâo ganhou para o governo por falta de votos, ou quem sabe, porque Deus não quis. Ai vai do que pensa cada um. E como diz a constituição, temos liberade de expressão e pensamento, menos de forma anônima.
    abraço!

  • Augusto Pinz,

    eu sou ateu, e me senti rebaixado como cidadão. Creio que estou numa boa posição para falar de mim mesmo.