11th of May

Prefácio do tradutor


Yang Zhu foi um filósofo da era clássica do pensamento chinês, que viveu provavelmente entre 370 e 319 antes da Era Comum. Ele foi associado aos daoístas desde a ascenção do confucionismo oficial e a consolidação do que agora chamamos ‘daoísmo’ (ou ‘taoísmo’), embora este termo seja problemático, pois pensadores como Yang Zhu, Zhuangzi e Lao Zi são bem diferentes e não eram considerados membros de uma mesma escola nos tempos antigos.

Além disso, o texto que nos resta e é atribuído a Yang Zhu é de um período posterior, no qual foi preservado no Lie Zi (livro do mestre Lie), que não atingiu sua versão definitiva até cerca de 400 EC.

Neste livro, Yang Zhu mostra-se bem distanciado do pensamento místico, sua preocupação principal é desfrutar da vida ao máximo, valorizando a maior expressão possível do caráter individual e a não-interferência nos processos naturais.

Yang Zhu pode ser descrito como ateu, hedonista e niilista, e, embora provavelmente ignorante de fontes ocidentais, pregava ideias notavelmente semelhantes às ideias de seu contemporâneo grego Epicuro de Samos.