2nd of April

Quais são seus livros sobre ateísmo preferidos?


"Carta a uma nação cristã", de Sam Harris, por ser sucinto, direto, e dizer tudo o que é relevante hoje no assunto (é ótimo para um pregiçoso como eu encontrar quem argumenta sucintamente).

Não é exatamente sobre ateísmo, mas "No que acredito" de Bertrand Russell é meu favorito sobre o tema geral das crenças.

Dos novos autores, só li Dawkins e Dennett, e gostei bastante. É difícil escolher quando não li tudo ainda.

"Deus, um delírio" de Richard Dawkins, é uma leitura de alto entretenimento e bastante informativo, como todos os livros dele.

Dos outros autores que ainda não li, os que mais tenho vontade de ler é Victor Stenger, por ser um físico e um pesquisador, e Michel Onfray, por ser um filósofo notável que está na tradição francesa, diferente da maior parte dos autores anglófonos que li.

No momento estou lendo "Uma Gota de Sangue" de Demétrio Magnoli, que não trata de ateísmo, mas da história do pensamento racial – o pensamento criador das famigeradas cotas para "negros" nas universidades.

Ler sobre ateísmo é meio chover no molhado para mim… para quê vou ficar só lendo quem eu sei que diz o que eu já penso?

Se eu me interessar por continuar debatendo teologia, vou ver os argumentos dos teístas direto na fonte. Por exemplo, li Paul Tillich ("A dinâmica da fé"), comentei a respeito por aí.

Mas me recuso a ler livros de apologia teológica escritos por autores zé ninguém para tentar convencer ignorantes do que os ignorantes já acreditam (como o livro escrito por um apologista cristão que se aproveitou da senilidade de Antony Flew e o colocou como co-autor de uma obra que Flew sequer conhece).

Tergiversei mas tanto faz, respondi. Pergunte-me qualquer coisa.

  • Tem algum em especial do Victor Stenger que você recomende ? Eu também sou físico 🙂

  • Thadeu, imagino que a obra prima do Stenger no assunto é "God: the failed hypothesis".

  • O Flew desmentiu publicamente a alegação de que teria sido manipulado. E confirmou que o livro é dele mesmo.

  • O livro do filósofo André Comte-Sponville (O espírito do ateísmo), tem uma linha de argumentação muito boa. Vale à pena ler e indicar.

  • O New York Times mostrou que Antony Flew não reconhecia citações do próprio livro. Ficou bem claro que ele não está em condições cognitivas de negar algo que já foi demonstrado: ele não escreveu este livro, e a prova disso é que contradiz toda a produção filosófica da vida dele, que sequer é citada no livro, e refuta argumentos adotados no próprio livro.