21st of September

Mais um ponto para os materialistas


Rapid Erasure of Long-Term Memory Associations in the Cortex by an Inhibitor of PKM{zeta}

Reut Shema e Yadin Dudai (do Departamento de Neurobiologia, Instituto Weizmann de Ciência, Israel), em parceria com Todd Charlton Sacktor (dos Departamentos de Fisiologia, Farcamologia, e Neurologia do Centro Robert F. Furchgott para Ciência Neural e Comportamental, SUNY Downstate Medical Center, NY, EUA)

conseguiram deletar uma memória de longo prazo em ratos.

Os ratos foram condicionados para sentir náusea ao tomar uma solução de sacarídeo. A injeção da proteína ZIP, que inibe a atividade de outra proteína, a enzima MPK-zeta, causou o esquecimento desse condicionamento nos ratos, tão rápido quanto duas horas após injetada no córtex insular (que processa informação de gosto, entre outras coisas).

Notícia resumida:
http://www.nature.com/nrn/journal/v8/n10/full/nrn2240.html

Abstract do artigo, com link para o artigo inteiro:
http://www.sciencemag.org/cgi/content/abstract/317/5840/951
_________

Esta notícia nos indica que a mente, ao menos sua parte mnemônica, está fundamentada em entidades materiais no cérebro. Uma explicação espiritualista para a mente não é apenas controversa, é desnecessária.

Faço agora uma previsão: a maioria dos espiritualistas e dualistas não vai se abalar. À medida que, nas próximas décadas, a mente for explicada a partir de fundações materiais inequívocas, as hipóteses espiritualistas e dualistas vão fugir da testabilidade, vão se volatilizar em direção à irrefutabilidade empírica, ao que Popper chama de não-falseabilidade.

Isso torna o dualismo só mais uma explicação religiosa, aquém da confiabilidade das evidências, junto com o criacionismo, fadas, duendes, papai noel e a fada do dente.